Maduro, o da cambada

807650

Maduro de nome mas imaturo para enganar os que o topam. É uma “raça” Cavaco que Portugal dispensa. Coletor dos feios, porcos e maus. Apresentado como um “out sider” que comentava nas têvês e nos jornais contrário ao governo de Passos-Portas-Cavaco mas que assim que o nomearam ministro mudou de feição, mudou de convicções e de ideologias. Experimentou ser ministro da propaganda. Mas não resultou. Nada resulta pelo tempo que os aldrabões precisam. Nem com maduros que até são verdes o suficiente para os considerarmos e serem de facto imberbes. Quem? Pois fala-se de Poiares Maduro. Diz o Público que: “O ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, admitiu nesta sexta-feira não ser fácil reformar o Estado e a economia, considerando parecer que se gostaria de reformar o Estado sem ter de o fazer.” Conversa de prostituta. Já se viu. Diz ele por palavras suas, no Público: “”Parece que gostaríamos de reformar o Estado sem, no entanto, nos termos de sujeitar a essa reforma”. O quê? Senhor Poiares, você é um tal que está apostado numa contra-revolução da revolução acontecida em 25 de abril de 1974 e que agora quer virar do avesso em prol de vantagens da sua classe de ressabiados, de vígaros, de oportunistas, de falsários, de ladrões, de corruptos…. Talvez por ter um pai PIDE, ou ministro, ou, de qualquer modo, beneficiário do fascismo salazarista cheio de pôdres. Você, um maduro-imberbe é um rapaz que tem de saber disto. Se é que não sabe. O problema de liberal-fascismo é genético. Provavelmente é o seu problema… E o nosso.  Trata-te, rapazola. Vai ao psiquiatra, imberbe ministro. Conclui-se assim que Maduro aplica agora o contrário daquilo que dizia nas têvês e que assumidamente, então, era contrário às práticas do governo de Passos, de Cavaco, de Portas, da Troika e desses malfadados que afogam os portugueses. Só por engano. É que os liberais-fascistas também se enganam quando tudo fazem para nos enganar. Maduro, um nojo imaturo. Maduro, um dos da cambada. A cambada apoderou-se de Portugal e dita liberal-fascismo por todos os poros. A cambada, de Belém a São Bento e pela Europa. Maduro é bosta do mesmo esterco. Inúteis as máscaras que estúpidamente utilizam quando são os próprios a desmascararem-se.

Otávio Arneiro

Anúncios

1 Comentário

Filed under Uncategorized

One response to “Maduro, o da cambada

  1. Pingback: página global 3 nov | AICL – Ass. Int'l dos Colóquios da Lusofonia

Deixar opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s